quarta-feira, 23 de julho de 2008

Quem arrancou as páginas?


Ela estava cada vez mais fraca, suas expressões não mostravam o que ela realmente sentia, era como se sua vida fosse um livro aberto, mas com paginas arrancadas. Tentou varias vezes se reerguer e conseguiu só que neste momento, pra ela o chão era o lugar mais seguro a permanecer, era o ultimo estágio. O tempo passa muito rápido e isso pra ela esta se tornando mais um medo, só mais um pra sua enorme coleção. O que ela sempre pensava era anestesiar aquela dor, aquela pequena dor, e então ela fugia, sem sentido sem destino, ela fazia isso só para sentir que estava viva, e dificilmente conseguia, as bebidas eram cada vez mais fortes e ela nem sentia mais. Ela apenas estava querendo esquecer tudo aquilo.

13 comentários:

Aline [ou Réu] disse...

Comentando...sobre o post anterior.
Gostei bastante, mesmo. Até se parece comigo...e retratou muito bem essa nossa 'realidade'.

Um beijo ;*

Ricardo Jung disse...

cáspita

esse texto é o par perfeito para o meu último poema... o poema Em Meio às Sombras é o meu comentário, se não se importa

http://artepoiesis.blogspot.com/

Pedro Pyratero disse...

nem li! odeio esse tipo de blog! pode ir no meu me chamar de babaca! não ligo! http://pedropyratero.blogspot.com/

Hugo disse...

Cara não sei se é por que eu não tenho o mínimo de criatividade pra esse tipo de texto, mas eu queria saber sinceramente de onde vocês tiram tanta inspiração... rs

Muito bom o texto

www.blogdohugo.com

Emanuel disse...

Bem reflexivo seu texto. O medo do tempo que passa depressa, é a vida atual.

Ramon Assis disse...

Gostei muito
Exatamente o tipo de texto q costumo postar.

Adorei, é profundo, pássa uma sensação sublime, de vertigem.
Muito bom!

passa no meu, postei um texto da mesma categoria.

www.assiris.blogspot.com
Abraço

Luna disse...

Todo mundo tende ao escapismo, uns mais, outros menos. Lindo texto!

Hugo disse...

Bahh... legal mesmo...
Valeu pela visita e continue escrevendo assim que vou passar por aqui muitas vezes...rs

www.blogdohugo.com

Strider disse...

Medo, medo e muito medo... me deu a impressão de que registrar sua vida num diário dá mais medo, porque aí as páginas te trazem de volta aquelas lembranças, ficam assombrando. Eu rasguei o meu antigo diário dos 16 anos em mil pedacinhos.

Cássia disse...

A gente anda fazendo tanta coisa que as lembranças se sobrepoe, nos esquecemos sem mesmo arrancar as páginas
Obrigada pela visita :)

Pedro Pyratero disse...

caralho...c ta de plantão ai? uhsahusahu! pow, doque vale uma boa gramatica se a pessoa não tem nada na cabeça! sou criitico, sim. faço duas facudades e tenhos meus meritos pra botar essa porra de blog pra fucionar...se eu sou futil...não sei nem a palavra pra vc! mas admiro vc por ter um blog...e não um fotolog com as fotos da galera e os fotologs amigos do nx zero e fresnoo! http://pedropyratero.blogspot.com/

Pedro Pyratero disse...

kkkkkkkkkk! guria...vamo parar,,antes q piore... eu não gosto do seu blog! vc não gosta do meu. ok? não le chamei de emoo..ate pq nem todo mundo q tem fotolog e emo! jah estamos intimos em! quer se minha amiga virtual?http://pedropyratero.blogspot.com/

Sammyra Santana disse...

Gostei dos seus escritos, moça!
Todo mundo já teve um dia de querer arrancar as páginas, ou d eavançar outras tantas.
Mas o melhor é enfrentar! Sempre saímos mais fortes depois das batalhas!

Beeeeeeeijo