segunda-feira, 28 de julho de 2008

Poço de esquecimento


Ela já não tinha mais esperanças, seus dias cada vez mais cinzas iam se apagando como lápis no papel. Ela estava caindo num poço fundo, escuro e sem vida. Os dias passando e suas forças se acabando, ela pensava que aquele transtorno não passaria nunca e que seu destino era sofrer e sofrer, sem dó nem piedade. Naquele estagio ela só pensava em se drogar, e esquecia do mundo a sua volta, esquecia que precisava viver de verdade, viver cada instante, ela tinha esquecido até de amar. E isso estava, ou pelo menos aparentava satisfazer ela. Puro engano. Ela estava afundada num poço de lavas, no qual não tinha forças pra sair, e os dias passavam e aquela lava ia deformando tudo o que existia e restara dela. Mas a vida, meu amigo, sempre lhe dá oportunidade, é só saber reconhecer, e ela, mesmo naquele estado lamentável conseguiu se reerguer, aquela mão foi sua salvação. Os dias mudaramdesvairadamente, aquele foi o seu momento pra se erguer completamente e ela conseguiu. Ela tinha realmente esquecido o que era se sentir viva completamente. Ela tinha esquecido o que era gostar de alguém que merecesse. Ela tinha esquecido que a vida é o motivo de estarmos aqui.

12 comentários:

Victória D. disse...

Preciso ler mais algumas vezes para comentar de forma decente.

É, aquele primeiro parágrafo, que você gostou, é o verdadeiro mistério da história. Que bom que percebeu isso.

Abraços.

ann* disse...

E o bom é que tudo pode ser refeito, reescrito, recomeçado...
A borracha da vida não existe. Mas existe a folha em branco após a folha rasgada ou folha completada.

http://sickyouth.blogspot.com

Nany Mckenzie disse...

Primeiramente quero dar os parabéns pelo seu blog,pelas imagens e pelos textos.

Bom,só vou deixar uma mensagem e espero que possa entender.
Tudo na vida passa,e a única certeza é que vamos morrer um dia.
Então não tenha medo de errar,não tenha medo de recomeçar,não tenha medo de amar,de viver e de ser feliz,desfrute o que há pra ser desfrutado.

xoxo ;*

nicestthing disse...

Como sempre você arrasa nos seus textos e sempre me faz com que eu me sinta neles.

Venho aqui, não porque tinha de comentar no seu, mas porque gosto de ler teus textos. Sempre são bons. ^-^

Meus parabéns! *-*

Ah, se não for pedir muito. Eu queria que você me avisasse quando tiver feito um novo texto. Quero ser a primeira a ler, a primeira a comentar. *o*

Hugo disse...

O_o

Q triste.. ouheouehe
Pior que alguém que esquece como é amar... é alguém que o fez por causa de outro alguém..

www.blogdohugo.com

www.manufaturanova.blogspot.com disse...

Imagino histórias, pessoas... me imagino!! Seu blog assim como outros que considero essenciais tornou-se um pequeno vício do meu breve cotidiano. Que bom que vc voltou! Espero que tenhas ido bem de viagem!=]

Jamila Carvalho disse...

o mais triste pra mim, sem sombra de dúvidas, é esquecer-se de como amar...

Alan Borges disse...

nossa!bastante profundo seu blog
gostei p/ caramba
continue assim ^^

Zunnnn disse...

eu tambem esqueci. :|

abraço

Fernanda disse...

Muito bons seus textos, sempre cheios de verdades, mesmo que nas entrelinhas :)

Jéssica Lopes disse...

Lindos e profundos , são seus textos !
Agora entendo porque você gosta tanto dos livros de Clarice Lispector ..como diria um colunista amigo de dela

" Para se entender clarice é nescessario ser ela a cada palavra "

E o mesmo que se pode dizer dos seus textos !


Continue assim !


Beijos *.*

Ramon Assis disse...

Será que me encontro nesse momento?
De me reerguer?

Eu sinto isso.
Acho que estou no momento em que meus dias não seguiram em par e par.


Abraços