quinta-feira, 7 de agosto de 2008

O ultimo gole de café


Ela lutava contra a noite diariamente, os cafés já eram pretos e sem açúcar, sua vida era sem açúcar, sem gosto, sem graça e tão vazia. Talvez o desejo incontrolável de viver cada instante de sua vida, a prendia na tela daquele computador, em busca de informações, em busca de amores, em busca de paz, quem sabe. Sim, ela saia, ela se divertia, ou pelo menos fingia. Ela tentava conviver normalmente com os outros, e talvez consigo mesma. O seu eu interior era o que mais incomodava aquela voz, aqueles pensamentos, ou apenas aquele jeito irritante de ser. Ela tentava fazer daquela sua vida inútil, algo pelo menos suportável. O ultimo gole de café a fazia pensar constantemente em seu futuro. E talvez ela sonhasse coisas incomuns, ela vivia numa chuva de ilusão. Quem sabe um dia ela iria descobrir o mundo lá fora de verdade, quem sabe ela encontraria quem pudesse confiar, quem sabe ela encontraria um amor verdadeiro. Mas deixa pra depois, pois já esta muito tarde e o café acabou.

21 comentários:

vidapessimista disse...

Se ela tomasse coca-cola ou talvez chá, quem sabe as coisas poderiam ser melhores... Mas se ela gosta de café preto, forte e quente, não resta nada a fazer... Isso é o que ela é!

O Sábio Niestévisky disse...

Já tive noites assim, gostei.

Lolita disse...

Gostei tanto que vou ser obrigada a colocar no meu profile.

Estórias de café sempre são boas.

Diego Rodrigues disse...

Muito bom o texto. Principalmente o final e a última frase é excelente.

__((::_Perfect Girl_::))__ disse...

ai menina que texto lindo... principalmente pq me descreve... assim, em partes!
Eu tomo coca cola e fico de frente para o pc pensando na vida e no que sou...

http://nelinhalokinha.blogspot.com

Roberta disse...

Gostei do texto, é fato que já vivi em certos aspectos o texto, tu escreve bem ! parabéns ;*

Dário Souza disse...

Tenho a impressão de ja ter lido isso em algum lugar,ou pode ser a nostalgia das sensações transmitidas pelo texto.

Um cara ai disse...

Não é à toa que todos os posts tem varios comentarios
otimo texto, gostei.

... disse...

Seria melhor beber café durante o dia, e ser tão forte quanto ele.
Abraço!

Fábio Buchecha disse...

Café preto e sem açúcar é amargo demais. Pode até te manter acordada, mas vai deixar um gostinho ruim depois... (tipo, foi a pior das metáforas que já fiz =P)

Agora em off, como é que se pronuncia o teu sobrenome?

___________________________________
Pois Bem...

Fernanda Santiago Valente disse...

Um texto que representa muito bem a solidão. Uma sugestão? Coloque chocolate dentro do café, para quem sabe, a menina sorrir.

bjs

Jéssica Lopes disse...

Sempre com esses textos que me fazem pensar .

E dessa vez a historia � minha !

Seus textos se mescl�o com a alheia ...Por sinal muito bom isso :D


Beijos

Victor Canti disse...

parece incomum, mas é bem comum estas indagações, estes conflitos existenciais, onde por vezes nem se sabe o que se procura, o grande mistério da vida...
bom tema..
beijos

Franciscus Danton (Mateus Rosa) disse...

Às vezes, a gente se sente assim... É fato! O homem é assim. Não tem como fugir... Todos somos assim!

Beeeeijos!

O Profeta disse...

Errantes sentires percorrem
Este corpo nu de calor
Queda-se a vontade ao vento
Neste deserto de verde amor

Ai este grito contido
É lava rubra em minha garganta
Pio de pássaro preso às penas
Uma reza a fugir de alma santa


Boas férias


Mágico beijo

Stephany disse...

Se identifiquei tanto com seus textos que voltei pra comentar.Sei láh vc se expressa tbm esses momentos bem frequentes na minha fase adolescente,exatamente parece que vC escreve esses textos pra mim.Parabéns adorei muito.E oq mais adorei é ("Mais deixa pra depois)".Deixei o meu amor pra depois cansei rs..olha eu desabafando aki rs...
Bjão e mais uma vez Parabéns

www.manufaturanova.blogspot.com disse...

Ain ain** suspiros de satisfação

Minha poetisa clariciana!^.^

nicestthing disse...

Pelo visto não sou eu a única que se identifica com seus textos. :P
Sabe, sempre que tomo café, começo a pensar na vida, de como seria tudo no futuro. Assim como a personagem do texto, vivo numa chuve de ilusões e mesmo sabendo que estou iludida, não consigo parar de pensar naquelas coisas que nunca acontecerão. Tentar esquecer? Tento, mas nunca esqueço. Possível talvez que seja, mas creio que vai demorar muito pra isso acontecer, rs.

Ricardo Jung disse...

O pior desprezo, imperceptível à própria alma... desprezo por si mesmo, ainda que inconsciente...

Não vou me estender pra não me chocar contra seu eu lírico tão fragilizado, como fiz no texto anterior... mas o fato é que eu vejo um espelho...

Só espero que o eu lírico do texto aprenda do jeito mais simples, o da humildade, que pra perceber o amor verdadeiro é necessário dar a si e à sua alma o amor próprio e incondicional, sem café, e que a única pessoa em quem ela pode confiar é em si mesma, e não em qualquer personagem que suas expectativas convença... e nunca é tarde pra nada, já que a alma é imortal e não tem idade

Este eu lírico que vos escreve aprendeu do jeito mais difícil, o da dor, um jeito quase insuportável (como eu sei que está sendo pra você), entre neuroses de angústia e depressões, entre Diazepans e Vodkas

Conselho é uma merda. Sofrer é uma merda. Se sentir inútil é uma merda. Mas não sentir e não amar a si mesmo é como tentar viver congelado dentro de um bloco de merda.

Mas é apenas um eu lírico, eu é que estou viajando... falando com um personagem que nem de carne e osso é... errrrrr!

Lane disse...

Olha, excluí o Nicest Thing. Agora estou em outra que é o Just be Happy, o qual tenho certeza que não vai durar muito também. Hehe...


http://apenas-seja-feliz.blogspot.com

jcdigital disse...

meu deos, como isso tudo é muito bom !

.D