quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Faz de conta




Os cigarros nem me fazem mais falta, aqueles goles amargos de incerteza acabaram me afogando. É como se minha vida fosse uma montanha russa, é nos altos que consigo realmente sentir a emoção, mas é nos baixos que eu me sinto segura, sabendo sempre que o chão é o ultimo estagio, mesmo doendo, é o que mais me conforta. O que é certo demais não me atrai, o que é obvio demais me enoja, as tempestades são sempre mais reais e isso talvez é o que me faz sentir viva. Eu cansei de dizer que sempre cansei, chorar por sempre desistirem, me martirizar por sempre fracassar. Honestamente o texto só fica poluído se eu escrever tudo aquilo que acontece de verdade, a poluição já é tão exagerada nisso tudo que até me envergonho de continuar. Então faço de conta que nada aconteceu e sorrio sem ao menos saber por quê. Pois eu não posso fazer mal nenhum, a não ser a mim.

2 comentários:

Tetéé disse...

É tudo uma questão de escolha, sempre choramos , cansamos e talvez pra sempre continuaremos a persistir no erro, mais sempre a tempo para sorrir mesmo sem ter um porquê"

AGATHA disse...

pago um pau pros seus textos! *-*